Ilustração, No. 116, Outubro 16 1930 – 28

Ilustração, No. 116, Outubro 16 1930 - 28

Carregar na imagem para ver em tamanho 1084 x 1488.

Artigo de Fernando de Pamplona sobre Montaigne, em que este critica a sua escrita.

“Os grandes homens dos nossos pergaminhos nacionais, ou os ignora tranquilamente, amortalhando-os no silêncio, ou, se a êles se refere de corrida, é para os diminuir, para calar o bem que fizeram ou dizer com ironia o mal que por vêzes não fizeram… Para êle, o infante D. Henrique, Bartolomeu Dias, Vasco da Gama, não existiram – ou foram esquècidos escandalosamente pela sua pena, caprichosa como uma mulher. E outras figuras universais, saídas do seio da nossa terra, apenas lhe merecem, por desfastio, um sorriso breve ou a garatuja duma anedota… E essa injustiça de Montaigne para com Portugal e as suas glórias parece-nos ainda mais indesculpável se considerarmos que êle contou entre os seus mestres o grande humanista português André Gouveia. É talvez André Gouveia o único homem da nossa raça que logra captar as boas graças e o carinho do prodigioso estilista. Falando das escolas do seu tempo, Montaigne afirma que Andreas Goveanus – assim lhe chama, como perfeito latinista – era ‘o maior principal de França’. Mas – coisa curiosa! – esquece-se de dizer que Gouveia era um português.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: