Ilustração, No. 120, Natal, Dezembro 16 1930 – 32

Ilustração, No. 120, Natal, Dezembro 16 1930 - 32

Carregar na imagem para ver em tamanho 1072 x 1500.

“O Que Fez um Olhar de El-Rei”, tragédia doméstica por Eduardo Zamacois, conto ilustrado por A. Duarte de Almeida.

“LOPES – Que sonhaste?…

CÁRMEN (Fechando as pálpebras) – Que El-Rei olhou para mim…

LOPES (Sem compreender) – E depois?…

CÁRMEN – Encontrava-me num jardim cheio de flores e murmúrios de águas correntes. A um lado, alçava-se um bosque negro, de cipestres, através dos quais, ao fundo, o sol morria. Eu tinha acudido ali com o pressentimento de que alguém… não sei quem!… me pedira uma entrevista. (Cala-se um momento e as suas pupilas adquirem uma profundidade apaixonada e magnífica). De repente, vi chegar um automóvel. ‘É êle’, pensei’. Afastei-me, tremendo, do caminho, e o automóvel passou… e no automóvel ia o rei, que olhou para mim. (Suspirando) Ainda retenho aquele olhar…

LOPES (Secretamente ofendido) – E foi isso que te transtornou?

CÁRMEN (Dignando-se baixar os olhos do tecto para olhar para o marido) Tu sabes o que signifca ter sido olhada assim, com prazer, por um rei?…

LOPES – Queres agora convencer-me de que te enamoraste dêle…

CÁRMEN – Tôdas as mulheres estão enamoradas do rei.

Lopes ranze as sobrancelhas.

CÁRMEN – Elas não o sabem…, mas estão.

LOPES – Tu, também?

CÁRMEN – Também; foi uma revelação; compreendi-o quando sonhei me olhava.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: