Cinéfilo, No. 73, Janeiro 11 1930 – 16, 17

Cinéfilo, No. 73, January 11 1930 - 16

Carregar na imagem para ver em tamanho 880 x 1260.

O comentário à música no cinema.

“Central. – mandrágora teve um comentário musical absolutamente no carácter do filme. Dukas, Pierné, Becker, Chausson, Debussy (cujas obras ocuparam lugar predominante na adaptação), Viardot, d’Indy, e outros, criaram, com a sua música, o ambiente estranho da fita. Bastaria isso para comprovar a felicidade do comentário lírico de Julio Canhão.

Capricietto, de Neuparth, acompanhou o documentário português.”

Cinéfilo, No. 73, January 11 1930 - 17

Carregar na imagem para ver em tamanho 867 x 1262.

O comentário à música no cinema.

“S. Luis. – A partitura da Outra Verdade, estreada a 3, foi um acontecimento importante no meio cine-musical.

Marc Roland escreveu um comentário, para o notável filme, de um alto valôr lírico. A sua música tem modernismo e beleza e exterioriza absolutamente a intenção do filme, talvez ás vezes com pronunciado exagero, se nos recordarmos do parcialismo como êle canta entusiasticamente, em gritos de triunfo, as vitórias alemãs e faz ouvir notas plangentes quando a sorte é propícia aos adversários.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: