Arquivo

Crónica Feminina Culinária

Crónica Feminina Culinária, Nº 18 - 7

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1192 x 826.

Ovos em Geleia com Camarões, Ostras com Manteiga, Ostras no Espeto, Ostras Frescas, e Ostras à la Poulette.

“Como servir as ostras

De Setembro até Abril é a época em que se podem comer sem perigo as melhores ostras do ano. Os meses sem R são portanto, os proibitivos em relação aos maravilhosos petiscos que as ostras podem proporcionar. E já que começámos a época favorável, aqui vão algumas maneiras de servir ostras. Ostras portuguesas que são famosas em todo o mundo.”

Anúncios

Crónica Feminina Culinária, Nº 18 - 5

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1196 x 826.

Lagosta à Italiana, e Lagosta à Gigi.

Publicidade à margarina Chefe, e à panela de pressão SEB.

Crónica Feminina Culinária, Nº 18 - 5a

Carregar na imagem para ver em tamanho 1000 x 1384.

“Lagosta à Italiana

Depois da lagosta cozida pelo processo que já ensinámos, corta-se-lhe a cauda às rodelas. À parte, descascam-se as patas e limpam-se dos ovos.

Com todas as miudezas da lagosta, inclusivamente os ovos, faz-se uma pasta pisada no almofariz à qual se mistura o miolo de uma ‘brioche’ demolhada em leite, devendo obter-se, por fim, uma pasta rosada que se passa pela peneira e se acrescenta com molho ‘béchamel’.

Dispõem-se os pedaços de lagosta num prato de ir ao forno e cobre-se com o molho guarnecido de cogumelos de Paris e algumas rodelas de trufas. Leva-se uns cinco minutos ao forno e serve-se muito quente, rodeada de côdeas fritas em manteiga e ramos de salsa.”

Crónica Feminina Culinária, Nº 18 - 4

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1194 x 824.

Sopa de Lagostins. Como escolher e preparar lagostas.

“Antes de se comprar uma lagosta, deve verificar-se se está ainda viva. Caso contrário, a sua polpa perderia imediatamente a sua consistência ao mesmo tempo que o seu agradável gosto a mar.

COMO SE COZE

Ainda viva, a lagosta deverá ser amarrada com um cordel, dobrando-se-lhe a cauda e as pernas contra o corpo.

Deita-se água até ao meio numa peixeira, acrescenta-se-lhe meio copo de vinho branco seco, uma cenoura cortada ao meio, uma cebola, um ramo de salsa, um limão cortado ao meio, uma colher de sal grosso e alguns grãos de pimenta.”

Crónica Feminina Culinária, Nº 18 - 3

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1190 x 826.

Sopas de marisco: Sopa de Peixe à Italiana, Potagem de Mexilhão, Sopa Rica, e Sopa de Caranguejo.

Publicidade à CP, comboios de Portugal.

“Esta é a estação de ‘Cozinha à Marinheira’ feita à base de mariscos de uma maneira geral, cozinha que não exige cerimónia nem apetite, mas sim uma bonita toalha garrida e uma garrafa de bom vinho.”

Crónica Feminina Culinária, Nº 18 - 2

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1194 x 825.

Pato com Ostras, Arroz au “Gratin”, Ovos com Mexilhão “À la Crème”, Santola à Moscovita, e Guisado de Gambas com Arroz.

Publicidade às máquinas de cozinha Bauknecht.

“Uma lagosta e algumas ostras, ou uma bonita santola e alguns quilos de amêijoas, eis alguns bons elementos para uma refeição de festa, refeição, de resto, muito sã, porque os frutos do mar e os crustáceos, são ricos em iodo e em vitaminas.

Henrique IV gostava tanto de ostras que comia, com frequência, uma centena delas à ceia. Apenas com duas dúzias delas, porém, poderão as leitoras preparar a primeira receita deste suplemento.”

Crónica Feminina Culinária, Nº 23, 1963 - 14

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1214 x 831.

Refeições para quando há visitas inesperadas: Bananas com Queijo Branco, Doce de Arroz com Frutas Cristalizadas, Melão em Taças, Melão Gelado com Frutos, Macedónia de Frutos, e Bavaroise de Framboesa.

Crónica Feminina Culinária, Nº 23, 1963 - 14a

Carregar na imagem para ver em tamanho 756 x 636.

“Bananas com queijo branco

Descascam-se as bananas, cortam-se ao meio no sentido do comprimento, e fazem-se macerar em limão, um pouco de rum e açúcar.

À parte, misturam-se três queijinhos brancos com um pouco de natas ou de leite, uma gema de ovo, açúcar em pó, um pouco de rum. Cobrem-se as bananas com este creme de queijo branco, salpica-se de chocolate ralado e serve-se fresco.”

Crónica Feminina Culinária, Nº 23, 1963 - 15

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1221 x 828.

Bolinhos secos para o lanche: Madalenas, e Petits Fours. Cremes Glacés à base de creme inglês, de puré de frutos, e de sumos de frutos. Publicidade à Água de Luso.

“Toda a boa dona de casa deve ter uma reserva de bolos secos e saber fazer sanduiches apetitosas e variadas para que, à hora do lanche, todos os membros da família recorram a ela, confiantes de que serão bem servidos.”