Arquivo

Os Nossos Filhos

Carregar na imagem para ver em tamanho 990 x 1420.

Na contra-capa, publicidade ao Tónico Milo da Nestlé.

Anúncios

Revista amavelmente cedida por T do blog Dias que Voam blog. Carregar na imagem para ver em tamanho 984 x 1404.

Publicidade ao sabonete Caldas Santas; ao insecticida D. D. T. Afal; à livraria Capuchino Vermelho; ao Instituto de Corte Ilda Nunes; ao adelgaçante Iodorganine Mercier; ao medicamento Cibalgina; e à Rádio Renascença.

Carregar na imagem para ver em tamanho 747 x 1017.

Os Nossos Filhos, Nº 180, Maio 1957 - contra-capas Nossos Filhos, Nº 180, Maio 1957 - 30b

Carregar na imagem para ver em tamanho 750 x 804.

Os Nossos Filhos, Nº 180, Maio 1957 - 30a

Carregar na imagem para ver em tamanho 970 x 1420.

Continuação do artigo sobre as crianças e o dinheiro. Publicidade à margarina Chefe, às lâmpadas Lumiar, ao livro “Tesouro das Cozinheiras” da Porto Editora, aos teares caseiros da rua do Telhal, e aos enxovais do Atelier da Rua Bernardo Lima.

Carregar na imagem para ver em tamanho 826 x 654.

Os Nossos Filhos, Nº 180, Maio 1957 - 29a

Carregar na imagem para ver em tamanho 726 x 564.

Os Nossos Filhos, Nº 180, Maio 1957 - 29b

“O dinheiro, na época em que vivemos, assumiu tamanha importância na nossa vida, porque se vão tornando cada vez mais raras as coisas que podemos adquirir sem dispor de dinheiro. Em outros tempos, até os membros mais novos da família constribuíam para a sua subsistência. Os meninos cuidavam dos carneiros, de cuja lã as meninas faziam meias. A mãe de família considerava a vida conjugal como uma sociedade, quando tecia o linho cultivado pelo marido, e do linho fazia lençóis; e também quando fabricava sabão e velas para uso da família. As coisas mudaram gradualmente, passando nós a fazer dinheiro, em vez das coisas que agora compramos com ele. Quer isso dizer que precisamos encontrar outras maneiras de dar a toda a família o sentimento de que ainda constitui uma sociedade em que todos se esforçam pelo bem comum.”

Carregar na imagem para ver em tamanho 970 x 1430.

A moda parisiense. Continuação do artigo sobre as crianças e o dinheiro. Publicidade às máquinas de costura Singer.

“A família que, na época actual, não discute a fonte de sua renda, e como ela deve ser distribuída, é, provàvelmente, uma relíquia do passado, dos tempos em que o chefe da família tinha na mão os ‘cordões da bolsa’. Hoje, é bem provável que ele estja pronto a delegar esses poderes na esposa. (…) apesar disoo, os estudos feitos sobre hábitos domésticos, revelam que os pais tendem a dar aos meninos muito mais oportunidades do que às meninas para administrarem suas finanças. Por uma arreigada tradição, os meninos estão, en geral, melhor informados sobre os recursos da família, e ouvem com mais frequência a discussão de seus problemas.”

Carregar na imagem para ver em tamanho 965 x 1420.

Os nomes das crianças que ilustram este número da revista – entre eles Ana Maria Franco Pereira (na capa). Conclusão da entrevista ao encenador Couto Viana, e do inquérito sobre pediatria feito a alunos de cursos superiores, por Clélia Varanda. Como obter algumas ofertas da revista, nomeadamente uma assinatura anual, um exemplar do livro “A mulher dona de casa”, e o romance “Ar Puro”. Publicidade ao sabão activado CUF.

Carregar na imagem para ver em tamanho 1124 x 1511.

Os Nossos Filhos, Nº 180, Maio 1957 - 22a

“A resposta é unânime, embora subjectiva: não tratar as crianças como ‘marionettes’; não as obrigar a exibir perante os estranhos as suas habilidades se as possuem; não as vexarem em público com a sua falta de habilidade ou com os seus pequenos defeitos; respeitar, enfim, a sua personalidade.”