Arquivo

Tag Archives: 1917

Ilustração, No. 119, Dezembro 1 1930 - 9

Carregar na imagem para ver em tamanho 1080 x 1496.

Foto-reportagem sobre a Grande Exposição da Luz e Eléctricidade Aplicada ao Lar, na Sociedade de Belas Artes, por iniciativa da Electro-Reclamo, com o patrocínio do Século.

Nas imagens: o stand da Singer, com decoração de Roberto Nobre; o stand da Sociedade Ibérica de Construções Eléctricas (S. I. C. E.), com aparelhos eléctricos da Thomson, Hotpoint, General Electric, etc; o stand da Mazda e da Sociedade Ibérica de Construções Eléctricas, com um mostruário de Alberto Jourdain; o stand da Fábrica Marquês de Pombal da Marinha Grande; o stand da firma Sampaio Baptista, representante do trust OTIS, com um projecto do arquitecto Eduardo Martins; e o stand do comerciante J. Gonçalves, de máquinas de contabilidade, etc.

Ilustração, No. 119, Dezembro 1 1930 - 9c

Ilustração, No. 119, Dezembro 1 1930 - 9b

Ilustração, No. 119, Dezembro 1 1930 - 9a

“Esta fábrica (Marquês de Pombal da Marinha Grande) foi fundada em 1914 por António Magalhães Júnior e começou a laborar em 1917 sob a direcção do sobrinho do fundador sr. João Magalhães Júnior, distinto artista e desenhador, que muito tem contribuido para o desenvolvimento da indústria vidreira no nosso país.

Êste stand torna-se muito interessante pela natureza e bom gôsto dos produtos expostos e por ser uma indústria nacional que nada fica a dever ao estrangeiro.”

Anúncios

A Volta ao Mundo, Ferreira de Castro, Nº 15, 1944 - 37

Livro amavelmente cedido por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1097 x 1510.

Na foto, estátua de Kamehamcha, o maior monarca do reino de Hawai.

“Depois, a Kamehameha I sucederam mais quatro Kamehamehas, que imperaram até 1872. Morto o último, o cetro transitou para as mãos de Kalakaua e, por fim, para as de uma raínha, que era poetisa. Chamava-se Liliuokalani e, chegada ao trono, julgou poder acabar com o domínio que, sôbre o arquipélago, exerciam os estrangeiros – os estrangeiros que se haviam estabelecido aqui. Era, porém, demasiado tarde. Desde 1820, os missionários americanos tinham lavrado, a seu favor, a alma dos nativos. Assim, a poetisa foi destronada e em 1894 o Hawai tornou-se uma república. O novo regime teve curta vida. A influência dos norte-americanos tornara-se enorme e, em 1897, assinava-se, em Washington, um tratado que estabelecia a anexação do Hawai aos Estados Unidos. Pouco tempo decorrido, a república terminou e os americanos instalaram-se, definitivamente, no arquipélago. Metida no seu palácio, a raínha Liliuokalani viveu até 1917, como um fantasma da perdida soberania do Hawai.”

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 6

Carregar na imagem para ver em tamanho 891 x 1339.

Elogia-se a Béliga pela reabilitação que dá aos mutilados de guerra. Nas imagens: Edgard Lippens, Achille Reisdorff, e Marcel de Fauw.

“A Belgica, nação martir e nação heroica, foi a iniciadora, ainda nos periodos convulsivos da guerra, da campanha de reeducação funcional e profissional dos mutilados.

Com a França organisou, em 1917, o primeiro congresso interaliado, no Grand Palais, em Paris. Durante a guerra deu grandes demonstrações de ternura pelos bravos que se inutilisaram, creando os estabelecimentos modelares de St. Adresse, de Rouen, de Port-Villes e acudindo na frente, com solicitude e com proficiencia, aos feridos de combate.”

Ilustração Portugueza, No. 603, September 10 1917 - 11

Imagem amavelmente cedida por Jorge. Carregar na imagem para ver em tamanho 1517 x 2226.

“Tambem as gentilissimas senhoras de Mirandela, guiadas pelo mesmo acendrado patriotismo que levou as de outras terras portuguezas a interessar-se pela sorte dos nossos soldados mobilisados, levaram a efeito, por iniciativa da srª D. Lucinda d’Azevedo e Castro, esposa do delegado da comarca e com o valioso auxilio do sr. Armindo Teixeira de Castro, administrador do concelho, a festa da flôr e uma recita no teatro 1º de Maio que decorreram animadissimas e brilhantes, tendo sido muito satisfatorios os seus resultados.”

Nas imagens: Emília e Brizida de Araújo e Castro, filhas de Armindo de Castro, administrador do concelho; mulheres vendem flores; e aqueles que tomaram parte na Festa da Flor.

Ilustração Portugueza, No. 603, September 10 1917 - 10

Imagem amavelmente cedida por Jorge. Carregar na imagem para ver em tamanho 1471 x 2198.

Um grupo de mulheres portuguesas da alta sociedade aprendem enfermagem, com vista a prestar serviço no hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, destinado aos feridos do C. E. P..

Nas imagens: enfermeiras aplicam curativos e pensos, e posam juntas antes de partir para França.

“Estas senhoras, em numero de 28 e ás quaes o ministro da guerra concedeu a categoria de alferes, estão fazendo o seu estagio no hospital temporario da Junqueira.”