Arquivo

Tag Archives: 1923

Modas e Bordados, Nº 3182, Janeiro 31 1973 - 6

Carregar na imagem para ver em tamanho 1734 x 1188.

Biografia de Adelaide Cabete, uma das primeiras mulheres portuguesas a formarem-se em medicina.

“Só depois de casada, sob o estímulo do marido, Manuel Fernandes Cabete, republicano convicto e eloquente, Adelaide ingressaria na Escola de Lisboa. (…)

Em 1900, Adelaide Cabete forma-se em Medicina. Com a tese, que apresenta, sobre A protecção à mulher grávida pobre, aborda a questão da necessidade do repouso das mulheres grávidas, demonstrando, segundo estudos de médicos estrangeiros, que a facilidade do parto, o peso e saúde do recém-nascido dependem da classe económica a que a mãe pertence. (…)

Em 1909, cria-se a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, sob a presidência de uma outra portuguesa não menos notável, Ana de Castro Osório. (…) Após a instauração do regime republicano, inicia uma intensa actividade de congressista. (…)

Em 1923, representa o Governo Português no Congresso Internacional Feminista.”

Modas e Bordados, Nº 3182, Janeiro 31 1973 - 7

Carregar na imagem para ver em tamanho 1737 x 1182.

Artigo sobre a dignidade e o valor das mulheres que optam por serem donas-de-casa e mães, em vez de terem uma carreira profissional.

– ‘Sou uma profissional – assegura-me ela -, uma mulher com uma carreira!’

Tenho a sensação de que me olha com um certo desprezo condoído.

Que sou eu? Tenho 30 anos, sem profissão. No meu passaporte pode ler-se ‘doméstica’. Sou uma rapariga que dei 10 anos da minha vida à confecção de três seres humanos, e que continua paralisada pelo encantamento observando o milagre fascinante que é o nascimento do espírito, a evolução de uma criança.”

Anúncios

A Volta ao Mundo, Ferreira de Castro, Nº 15, 1944 - 4

Livro amavelmente cedido por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1097 x 1510.

Na foto, uma geisha à porta da Geishaya, em Tóquio.

Carregar na imagem para ver em tamanho 895 x 2048.

A Volta ao Mundo, Ferreira de Castro, Nº 15, 1944 - 4a

“Até há pouco, Tóquio contava dois e meio milhões de habitantes; em 1932, porém, os japoneses estenderam a área urbana a vários povoados das redondezas e, assim, a capital passou a ter uma população de seis milhões e uma superfície enormíssima. Tóquio não é, todavia, a mais bela cidade nipã. O trágico terremoto de 1923 reduziu quási tudo a escombros e os incêndios que se lhe seguiram completaram a obra de destruição. Grande parte da Tóquio actual foi edificada sôbre imenso campo de cinzas – cinzas das casas antigas e de cêrca de sessenta mil homens e mulheres que pereceram naquela grande catástrofe.”

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 31

Carregar na imagem para ver em tamanho 870 x 1339.

As novidades literárias: “Os Deuses Extinguem-se…”, por Archer de Lima; “Terras de Fogo”, por Julião Quintinha; e “As Blagues do Dr. Bonifrates”, por Luís de Oliveira Guimarães. A correspondência com os leitores.

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 31b

Carregar na imagem para ver em tamanho 688 x 465.

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 31a

“Os Deuses Extinguem-se… por Archer de Lima

É uma plaquette de arte, luxuosamente impressa, e em que o autor, apaixonado bibliofilo, nos conta a tragedia de outro bibliofilo a quem o amor dos livros faz perder a razão. Ao mesmo tempo, conta-nos tambem a paixão desse maniaco por uma mulher, menos absorvente, porém, que a outra. A estranha narrativa encerra o quadro pitoresco de um leilão de livros em que intervvem personagens da sociedade de Lisboa, tão pouco veladas que as conhecemos todas sob as transparentes referencias que Archer de Lima lhes faz.”