Arquivo

Tag Archives: moda

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 66

Carregar na imagem para ver em tamanho 917 x 1300.

Artigo sobre grafologia, por Olga Mayo.

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 67

Carregar na imagem para ver em tamanho 909 x 1300.

Conclusão do artigo “O Que Eu Aprendi Pela Maternidade”. As regras do concurso para o conto do mês. Instruções para criar um babete para bébé, com publicidade aos fios Âncora.

Anúncios

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 64

Carregar na imagem para ver em tamanho 920 x 1300.

Como fazer bolsas canguru para guardar sapatos, etc. Conselhos de costura, e para a casa.

“Remendar filó de cortinas ou mosquiteiros já um pouco gastos, parece difícil, pois a fazenda em volta do rasgão também já não é resistente. Facilite o trabalho, molhando bem em goma um retalho ou pedaço do filó a consertar, aplique-o sôbre o lugar defeituoso e passe com ferro bem quente. O remendo ficará quase invisível.”

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 64a

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 65

Carregar na imagem para ver em tamanho 921 x 1300.

Artigo sobre grafologia por Olga Mayo.

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 58

Carregar na imagem para ver em tamanho 932 x 1300.

Conselhos de beleza para os pés, retirados do livro de Olga Tschechowa.

“Em várias estações de águas, na Suécia e na Áustria, as professoras de ginásticas aconselham as suas clientes que se queixam de dôres nos pés, quando cansados, exercícios muito ‘duros’. As coitadinhas têm que equilibrar-se descalças sôbre paus grossos e tortos, sendo obrigadas a levantá-los com os pés para completarem o ‘castigo’…

E mais ainda. Têm que correr com seus pés, mimosos e descalços, sôbre pedregulho e cascalho!

O prémio é a suavidade elástica do andar.”

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 59

Carregar na imagem para ver em tamanho 930 x 1300.

A culinária por Lygia Vasconcellos, Georg P. Waschinski.

“Eu não sou bicho para comer isso! – muita gente teria exclamado, outrora, em repúdio às saladas cruas.

Naquela época, porém, o preparo de saladas não era ainda a arte bem desenvolvida de hoje, com variados modos de transformar uma salada gostosa e atraente em refeição completa.”

Ilustração Portugueza, nº472, 1915 - 32

Carregar na imagem para ver em tamanho 885 x 1339.

O Teatro Ginásio é agora dirigido pela actriz Maria Matos. Dá-se uma festa patriótica no Teatro Avenida, cujos lucros reverteram para a subscrição do Século a favor dos feridos de guerra. Uma récita da Escola da Arte de Representar no Teatro Nacional, com a “Salomé” de Oscar Wilde, e a peça “Casa Maldita”, de Ladislau Patrício.

Ilustração Portugueza, nº472, 1915 - 33

Carregar na imagem para ver em tamanho 884 x 1330.

Publicidade ao Pó de Abyssinia Exibard para a asma; ao Século Agrícola; à Perfumaria Balsemão; ao Século Cómico; ao sabonete Vizela; à agência de viagens Aníbal Marques de Sousa; à Companhia do Papel do Prado; e à Consolidated Portrait and Frame Co.

Parte do Concurso das Figuras Nacionais, a silhueta de Santa Joana.

Ilustração Portugueza, nº472, 1915 - 33b Ilustração Portugueza, nº472, 1915 - back cover

Carregar na imagem para ver em tamanho 990 x 1500.

Na contra-capa, as cigarrilhas “medicinais” Belsaúde da Viteri.

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 38

Carregar na imagem para ver em tamanho 908 x 1300.

As novidades nos chapéus de chuva.

Lady, Nº 5, Fevereiro 1957 - 39

Carregar na imagem para ver em tamanho 910 x 1300.

Artigo sobre a estilista brasileira Maria Augusta Teixeira.

“Essa nortista viva e simpática, dotada de talento fecundo que haveria de revelar-se bem cedo, veio da Ilha Marajó, no longínquo Pará, e nasceu sob um signo todo especial. Aos catorze anos começou a desenhar seus próprios vestidos, e mais tarde os dos outros.”