Archive

Monthly Archives: Outubro 2014

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 5

Carregar na imagem para ver em tamanho 887 x 1339.

Como ter violetas na Primavera; o calendário religioso; um bordado Richelieu para a saia; respostas a um inquérito; máximas de Napoleão e Edmond Jaloux; e como fazer quadrados de açúcar perfumados.

Carregar na imagem para ver em tamanho 636 x 580.

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 5a

“Ha pessoas que, sabendo serem as violetas plantas muito resistentes e saudaveis, entendem que as podem abandonar a si proprias. Puro engano. Devemos visita-las frequentemente, tirar-lhes as folhas secas, remexer-lhes o terreno para deixar entrar o ar e preserva-las dos ataques dos insectos. (…)

Quando as aranhas aparecem, podem ser eficazes borrifos, se forem dados logo de principio, mas o verdadeiro remedio é lavar as folhas com uma solução de sabão carbonico e arrancar e queimar as que estiverem mais atacadas.”

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 4

Carregar na imagem para ver em tamanho 884 x 1339.

Conselhos para manter a boa forma física, sem exageros; como ter violetas na Primavera; e a ementa da semana.

Carregar na imagem para ver em tamanho 756 x 720.

Ilustração Portugueza, 8 December, 1923 - 4a

“A falsa magra possue grandes atractivos com as suas formas delgadas, sua silhueta graciosa e flexivel escondendo, no entanto, por completo, os ossos sob uma camada lisa de carne e pele assetinada.

Para alcançar o fim almejado come-se com frequencia, porém pouco de cada vez. Cinco ou seis pequenas refeições serão mais beneficas, no caso que se trata do que apenas trez, mas abundantes.

Para quem não sofra do estomago, é de aconselhar uma colher de azeite depois de cada refeição e o frequente uso de saladas, mas substituindo o vinagre por sumo de limão, visto o vinagre prejudicar os que desejam engordar. O leite e a nata tambem devem ser obrigatorios a todas as refeições. A ginastica respiratoria é um grande auxiliar para desenvolver o peito e o colo e engrossar o pescoço (…)”

Banquete, Nº 11, Janeiro 1961 - 7

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1071 x 1509.

Receitas para Brioches Soufflé, Ovos Minuto, e Pão Recheado.

“Com o Inverno no auge e o frio dominando no exterior, a comida mais apetecível é, sem dúvida, aquela que se come muito quente.

Nesta secção de pratos de confecção rápida, decidimo-nos hoje pelas receitas mais próprias para esta época.

Não confundam pratos quentes com pratos que aquecem; é destes últimos que nos ocupamos hoje. Que eles vos transmitam o seu próprio calor é o nosso desejo.

Bom apetite e cuidado… não se queimem!”

Banquete, Nº 11, Janeiro 1961 - 6

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1060 x 1509.

Artigo por Vera sobre como decorar a casa com flores.

Carregar na imagem para ver em tamanho 700 x 533.

Banquete, Nº 11, Janeiro 1961 - 6a

“Têm as flores o poder mágico de influenciar os nossos estados de alma. Por essa razão, nasceu a lenda Oriental pretendendo que o Criador, no momento de fazer aparecer o homem sobre a terra, achou que a sua obra estava incompleta – faltava-lhe o sorriso! – e criou a flor.

As civilizações da antiguidade deixaram múltiplos testemunhos da importância que davam às flores. A origem da arte floral está no Egipto, vinte séculos antes da nossa era; um ‘bouquet’ intacto descoberto por Lord Carnavon no hypogeu de Toutankhamon, é uma prova flagrante.”

Banquete, Nº 11, Janeiro 1961 - 4

Revista amavelmente cedida por Margarida Marques. Carregar na imagem para ver em tamanho 1064 x 1509.

Artigo de Maria Emília Cancella de Abreu sobre as iluminações de Natal públicas.

“Ao terminar o ano 1960, Lisboa iluminou-se profusamente. O aspecto feérico das ruas da Baixa deu à nossa capital um ar cosmopolita que não estamos habituados a conhecer-lhe. Mas temos de concordar que lhe fica bem!

No final 1959 fez-se o primeiro ensaio e foi um sucesso. Neste ano que agora findou, passou-se de ensaio para uma grande realidade. Estão de parabéns os comerciantes da nossa terra, que se abalançaram a tão louvável emprendimento.”