Arquivo

Flama

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 58

Via T do blogue Dias que Voam. Carregar na imagem para ver em tamanho 1077 x 1452.

Publicidade aos sumos Compal.

Flama, No. 1068, August 23 1968 - back cover

Carregar na imagem para ver em tamanho 1092 x 1461.

Na contra-capa, publicidade aos cigarros Porto Gigante.

Anúncios

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 54

Via T do blogue Dias que Voam. Carregar na imagem para ver em tamanho 1095 x 1455.

A programação televisiva. Publicidade à Telefunken.

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 55

Carregar na imagem para ver em tamanho 1084 x 1468.

Conselhos às leitoras sobre como organizar as férias. Sugestões de moda. Receitas de Bolo de Fígado de Porco, e Rosbife de Alcatra.

“Até as mulheres que já perderam a linha ‘teenager’ podem usar calças, sem que por isso corram o risco de parecer ridículas. Estas calças de talhe simples são uma sugestão. Que tal?”

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 52

Via T do blogue Dias que Voam. Carregar na imagem para ver em tamanho 1092 x 1461.

Biografia de Bob Kennedy, por Oriana Fallaci.

“A hostilidade era recíproca, antiga. Remontava àquela tarde, em que Bob tentara impedir Jack de o escolher para vice-presidente. Mas, após o assassínio de Jack, transformou-se em ódio recíproco. O motivo é evidente. Bob havia sempre desprezado ‘o texano’, a ideia de que ele iria beneficiar com a morte de Jack punha-o fora de si. E, com a sua súbita falta de indulgência, fê-lo compreender isso logo na primeira reunião do seu Gabinete: chegando tarde. Quanto a Johnson, não só guardava o rancor pelas humilhações sofridas: estava ofendido pelas novas humilhações. Não suportava que, graças a Bob, a lenda de Jack se espalhasse como o mito de um santo ou de um benfeitor da humanidade. Johnson sabia bem que Jack não fora uma coisa, nem outra, conhecia os erros que ele cometera, as preocupações que deixara transparecer: sendo das últimas, a guerra no Vietname.”

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 51

Via T do blogue Dias que Voam. Carregar na imagem para ver em tamanho 1083 x 1461.

Biografia de Bob Kennedy, por Oriana Fallaci.

“Falemos agora da sua carreira como ministro da Justiça.

Esta foi também sensacional: não lhe agradaram nunca as situações mediocres. De repente, encontrou-se frente aos problemas dos negros e foi isto, precisamente, que o consciencializou. Foi ele próprio que confessou mais tarde que passara noites em branco a meditar sobre os negros. Os negros representavam para ele um instrumento eleitoral como os italianos, os porto-riquenos, os judeus: entre os seus amigos não havia um único negro. Quando se tornou ministro da Justiça, aumentou de dez para cinquenta o número de advogados negros na sua dependência, e elegeu dois negros Procuradores do Estado: mas por conveniência, nunca por princípio.”

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 50

Via T do blogue Dias que Voam. Carregar na imagem para ver em tamanho 1098 x 1461.

Biografia de Bob Kennedy, por Oriana Fallaci.

“Nos momentos graves os dois trabalhavam bem em conjunto, completavam-se: ‘Comunicamos por osmose’, dizia Jack. Se um irmão algumas vezes ajudou um irmão no exercício do poder, esse foi Bob. Uma decisão então tomada em família estabelecia que, a partir desse momento, se passasse a ‘utilizar’ Bob, para descanso de Jack: quer política, quer fisicamente. Por isso, enquanto Jack exibia uma expressão descansada, Bob parecia desfeito, esmagado por uma fadiga nos limites da resistência. Mas é difícil determinar até que ponto agia por devoção e generosidade ou porque lhe agradava a chefia. O prazer de ter nas mãos os destinos do mundo é um veneno subtil que se nutre tanto de sacrifício como de vaidade. Na opinião de uns, Bob servia a Jack de pára-raios, na opinião de outros era-lhe indispensável.”

Flama, No. 1068, August 23 1968 - 49

Via T do blogue Dias que Voam. Carregar na imagem para ver em tamanho 1083 x 1476.

Biografia de Bob Kennedy, por Oriana Fallaci.

“Jack não podia duvidar da lealdade e do afecto de Bob e Bob não se importava de ser ‘a eminência parda da Casa Branca’, ‘o segundo homem mais importante dos Estados Unidos’, ‘o irmão influente’, ‘The Big Brother’, na América, é um triste aforismo que exprime o poder, e mesmo o abuso. O segredo não era segredo, e foi, naquele período, que todos recordaram a frase pronunciada por Jack anos antes: ‘Assim como eu entrei na política por que Joe Junior estava morto, Bob tomaria o meu lugar se eu morresse. E, se Bob morresse, Ted tomaria o lugar de Bob’.”